Meninos, eu vi … eu vi as Torres Gêmeas nascerem

setembro 8, 2011 · Posted in Mundo, Turismo 

por Beto Lyra

A long long time ago

I can still remember how

That music used make me smile

Don McLean, 1971

Janeiro de 1972. Estava em Nova York pela primeira vez. Uma aventura iniciada no porto de Recife onde eu e meu primo Marcos embarcamos no lendário (e lerdíssimo) Frota Santos, um navio cargueiro brasileiro que levou açúcar para Nova Orleans. Descemos no berço do jazz.

Quatro dias batendo perna pela cidade e bairro francês, ouvindo jazz, e no 5º dia, um domingo, o programa especial: assistir a culto religioso, almoçar no parque (City Park) e jogar futebol contra a tripulação de um navio sul-africano. Isso mesmo, um jogo internacional. Ganhamos, não fiz gol, mas dei o passe para um dos nossos. Festa no navio brasileiro.

Dia seguinte, passagens compradas, Marcos e eu embarcamos no histórico Greyhound Bus Line, pela famosa Route 11 (não é a 66, mas é famosa também). Louisiana, Mississipi, Tennessee, Alabama, Georgia, Viginia, West Virginia, Maryland, Pennsylvania e, finalmente, New York. Dezenas de pessoas subindo e descendo do ônibus e nós dois firmes, sentados até o c… fazer bico.

Marinheiros de primeira viagem (literalmente), não reservamos hotel e assim às 3:00 da madrugada encontramos um na rua 46, o quase brasileiro Paramount. Daí em diante, foram 6 dias de bate perna pela ilha, boca aberta para o parque Central Park) , Waldorf Astoria, prédio do John Lennon, Empire State etc. Sempre ouvindo uma música que fazia o maior sucesso na época: American Pie, de Don McLean, cujos versos iniciais e finais (da canção e deste post) têm muito a ver com essa história toda.

Tirei dezenas de slides (alguém se lembra do tempo em que se tirava foto para revelação como slide?), muito vistos logo após o retorno ao Brasil e depois … nunca mais.

Até que neste ano resolvo transformar fotos de algumas viagens em digitais. As desta aventura entraram no bolo. Ao rever as imagens de NY de 40 anos atrás, a surpresa: estavam ali, já imponentes, os dois prédios que viriam a ser por algum tempo os  mais altos do mundo. Incompletos, faltando apenas alguns andares, no final de gestação. Como  disse, eu vi as Torres Gêmeas nascerem.

Agora, 10 anos depois do 11 de setembro, essas fotos me fazem lembrar a dezena de vezes em que tive de subir ao último andar de uma delas. Na primeira, para conhecer, nas demais para acompanhar, a família, amigos e comitivas de negócio que eu ajudava a coordenar nas visitas às bolsas de Chicago e NY.

E se … o nine eleven tivesse acontecido anos antes, numa das manhãs em que estava visitando-as? Deixa pra lá!

Bem, há fatos que se tornam inesquecíveis. Por exemplo:  todo o mundo sabe aonde estava ou o que fazia nos dias da morte do Kennedy, em 1963, da chegada à Lua, em 1969, ou do jogo Brasil 4 X Itália 1, em 1970. Eu me lembro bem aonde estava no 11 de setembro de 2001. Acreditem, estava em uma reunião na Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, tratando da reabertura da Embaixada do Brasil no Iraque e de uma feira que haveria dos exportadores brasileiros, em Bagdá. Os telefones começam a tocar, alguém pede para ligar a TV a tempo de ver o 2º avião se chocar contra a Torre Norte, e o que inicialmente se supunha um acidente se transforma numa declaração de guerra. Nem é preciso dizer, o mundo mudava e nossa reunião já era! Não haveria mais embaixada alguma, nem feira de produtos. Atenções totalmente voltadas aos prédios pegando fogo.

E, assim, meninos eu vi, eu vi as torres cairem.  O final da canção do McLean era profética:

And them good old boys were drinkin’ whiskey and rye

Singin’, “this’ll be the day that I die.

this’ll be the day that I die”

Antes eu tivesse visto só nascerem.

E você também se lembra aonde estava quando as torres caíram?

Comments

40 Responses to “Meninos, eu vi … eu vi as Torres Gêmeas nascerem”

  1. Fernando Assumpção on setembro 8th, 2011 23:31

    Muito bom……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

  2. tanya volpe on setembro 9th, 2011 07:58

    Olá Beto,
    Acho que todos lembramos onde estávamos nesse dia.
    Eu voltei para casa correndo, a tempo de ver o segundo avião , ao vivo, para o mundo todo, entrando na segunda torre ! Esse timming, ninguem me tira da cabeça , foi planejado exatamente para isso !
    E, nosso mundo entrou na Parte II …
    beijo, volte sempre
    Tanya

  3. beatriz on setembro 9th, 2011 09:13

    Beto, no dia 11 de setembro de 2001 estava ,como vc. sabe, vendo as ruinas do imperio romano, preservadas para quem não viu saber que existiu!
    na ocasião pensei :será que estou vendo nascer o declinio do imperio americano?
    Como dizem:quem viver verá….
    Na ocasião, em Roma, minha filha no Vaticano também perguntou:será que um dia isso tudo será ruina?

  4. Dick on setembro 9th, 2011 10:55

    Beto, que ótimo post !
    Lembro bem dessa viagem de vocês, porque na volta, o Marcos foi passar ferias comigo em Ilhabela.
    Morrí de inveja de toda a história do navio cargueiro, das suas andanças e também de uma camiseta tipo Stars & Stripes que ele não tirava do corpo.
    A foto é incrível, as torres gêmeas em final de obra. Que história!
    Parabéns e um grande abraço.
    Dick.

  5. Caio Queiroz Ferreira on setembro 9th, 2011 11:58

    Coincidência ou não, em Janeiro de 1972 também estava em NY e vi as torres em construção!
    11/09 estava na fila da injeção da farmácia Buenos Aires, morrendo de dor no ciático, ouvindo 2 velhinhas conversando, falando que um avião enorme havia se chocado com o WTC, e pensando comigo mesmo: “o que é a desinformação! Isso é que se chama bola de neve! Provavelmente algum aviãozinho monomotor se chocou com uma das torres e as duas velhinhas já aumentaram a história, espalhando por aí que foi um avião enorme!!!!

  6. Bo on setembro 9th, 2011 12:39

    Eu estava no carro ouvindo a Jovem Pan, que começou a notícia como sendo um aviãozinho pequeno (que foi crescendo). Cheguei na Hines e, ainda só no rádio, fiquei ouvindo ao lado do Steve Dolman, um americano que trabalhava com a gente, que não estava acreditando no que ouvia. Quando noticiaram que a primeira torre havia caído inteira, ele quase chorou. Só fomos ver as imagens na televisão depois.

  7. Beto Lyra on setembro 9th, 2011 15:32

    Boa Fernando, teu pai aparece na foto. Onde está WoMarcos?

  8. Beto Lyra on setembro 9th, 2011 15:40

    Tanya, legal!
    Acho que o timing também previa que tudo acontecesse rápido para evitar qualquer iniciativa de defesa.
    Beijo e obrigado.

  9. Luiz Fernando Vitral on setembro 9th, 2011 15:41

    Grande Beto

    No gênero “meninos eu vi” e com uma bela história.

    Vou guardar

    LF

  10. Beto Lyra on setembro 9th, 2011 15:47

    Bia, boa reflexão. É gozada a coincidência de vc estar visitando as ruínas romanas nesse momento.
    Coincidência ou não, de 2001 para cá, esse império americano declinou mesmo.
    Grande beijo.

  11. Beto Lyra on setembro 9th, 2011 15:51

    Dick,

    Bem que eu dei por falta de uma camiseta tipo Stars & Stripes quando voltei dessa viagem.

    Legal que vc gostou. Só faltou dizer aonde estava no dia 11/09/2001.

    Abraço.

  12. Beto Lyra on setembro 9th, 2011 15:53

    Caio, pena que as velhinhas não possam ler sua retratação. Está vendo o que dá ser cético e descrente?

    Abraço.

    Ah, eu não te vi por lá em 1972. Cadê as fotos?

  13. Beto Lyra on setembro 9th, 2011 16:16

    É isso, Bô. Ninguém acreditava, nem no que via.

    Acabei não escrevendo que ao sair da tal reunião em que eu estava, um brasileiro, de sobrenome árabe bastante conhecido, repetia: “tanto provocaram, tanto provocaram, que agora tiveram o troco”.

    Eu estava no carro dele e fiquei bem quietinho.

    Abraço.

  14. Maria Campos on setembro 9th, 2011 16:19

    Olá Beto,
    Me diverti no blog, entre assuntos vários e escritos com muita qualidade. Boudin, me levou à normandia e adorei saber sobre a curiosidade que envolve nosso acervo no Rio.
    Eu também vi nascer as torres Gêmeas um ano depois, devo ter essa imagem em meus “slides” que, também, nunca mais foram vistos, a não ser um ou outro rapidamente contra a luz. Bela analogia com a música!

    Abraço,

  15. Lourdes on setembro 9th, 2011 18:36

    Também me lembro que Marina me ligou dizendo para eu ligar a TV e vi a segunda torre.
    Mas acho um exagero esse trauma. Será que o Japão celebra todo ano a bomba atômica.? Afinal em se falando de trauma penso que os japoneses não saem perdendo em nada com o que os americanos fizeram pra eles.

  16. Beto Lyra on setembro 9th, 2011 21:41

    Luiz Fernando,

    Legal que vc gostou.

    Mas, vc não disse aonde estava. Abraço.

  17. Beto Lyra on setembro 9th, 2011 21:42

    Maria,

    Então seja bem vinda ao Fio Do Bigode.

    Abraço.

  18. Beto Lyra on setembro 9th, 2011 21:48

    Lourdes,

    Concordo totalmente. Hiroshima e Nagasaki são ótimos exemplos de crime de guerra. Mas como a história é escrita por quem vence …

    Beijo.

  19. Luciano on setembro 10th, 2011 00:09

    Eu estava no dentista. Sai para a sala de espera, a TV mostrava uma das torres em chamas. Imagens da CNN. Perguntei a uma senhora ali sentada, ela, distraida, respondeu: acho que eh um filme. Naquele momento, o locutor disse que se suspeitava de um ataque terrorista e se temia um ataque a uma usina nuclear no Estado de N. York. Lembrei imediatamente que minha filha estava la, onde terminava o high school. Sai dirigindo feito um louco e cheguei em casa a tempo de ver o segundo aviao se chocar com a torre. Liguei diversas vezes para a minha filha, mas os telefones estavam congestionados. So muito depois conseguims falar com ela.

  20. Pedro Falabella Tavares de Lima on setembro 10th, 2011 20:01

    betônicas,

    eu estava tomando ciência de acórdãos, no 16º andar do fórum joão mendes jr., quando um funcionário me veio dizer que uma torre havia sido atingida, e o rádio dizia que o prédio todo poderia desabar. achei que não era nada tão sério…

    vamos endossar o comentário de tia lourdes: e a notícia de que os governos americano e inglês mandavam prisioneiros para serem interrogados na líbia? quem se lembra que papa doc vendia sangue de seu povo para os estados unidos, diretamente de um posto médico instalado no aeroporto da capital do haiti?

    abraços e beijos a todos. e parabéns pelo texto.

  21. Beto Lyra on setembro 11th, 2011 09:18

    Luciano,

    Que sufoco, hein? Mas, note que com as histórias contadas aqui por todos os que escreveram já dá para montar um livro.

    Para quem é editor é um prato cheio.

    Abraço.

  22. Beto Lyra on setembro 11th, 2011 09:37

    Pedrinho,

    Eu também não achava que fosse tão sério.

    Com todos esses crimes de guerra, dá para ficar duvidando da expressão “civilização”.

    Abraço.

  23. Marlene on setembro 11th, 2011 10:41

    Beto , eu estava no Rio, quando minha filha que mora em Miami me liga e diz pra ligar a TV que parecia estar acontecendo alguma coisa mas não sabia o que com as Torres e o reporter que estava falando tbm não sabia ao certo o que estáva acontecendo, bem, achava que fosse alguma coisa como incendio em virtude da fumaça.
    Bjs
    Marlene

  24. Antônio Reche Medrano on setembro 11th, 2011 23:25

    Beto, sempre achei horrendas aquelas duas torres na ilha de Manhatan, mas gostei do teu texto. Você leva jeito para escrivinhar, parabéns!!!!!!!

  25. Fabio Mortara on setembro 12th, 2011 16:02

    Beto, belo texto, continuas afiado.

    Sua viagem de cargueiro com Marcão inspirou outra que fiz, com meu primo Luiz Villela, também de cargueiro, também para os EUA, cheia de trajetos de Greyhound…fomos de Jacksonville na Florida, até Boston, passando por lugares incríveis como Nashville e Nova York.  Em 74 já estavam prontas as torres. Em 2000, um ano antes ainda levei os filhos para conhecerem a cidade e as torres eram roteiro obrigatório, exemplo da força da potência capitalista.  Em 11/9/01 eu estava com mil coisas na gráfica, então só fui ver as imagens de noite em casa, quando já se tinha um quadro um pouco mais completo do começo do declínio do império.
    Abraço, Fabio

  26. Beto Lyra on setembro 12th, 2011 16:07

    Marlene,

    É verdade, ninguém sabia nada sobre o que estava acontecendo. Passados 10 anos, ousaria dizer que ainda não se sabe tudo o que de fato aconteceu.
    Beijo.

  27. Beto Lyra on setembro 12th, 2011 16:12

    Caríssimo Reche.

    Vindo o elogio de vc, vou começar a levar a sério este FDB.

    Vc só não disse aonde estava no 11/09. Em alguma de suas inúmeras viagens?

    Abraço.

  28. Beto Lyra on setembro 12th, 2011 16:13

    Fabio, obrigado.

    Lembro de vc ter comentado a sua viagem de navio.
    Então vc deve ter sido um dos poucos a trabalhar naquele dia e só ver imagens à noite.
    Abraço.

  29. Geraldo Facó Vidigal on setembro 12th, 2011 20:23

    É como você diz, Beto: TODO mundo sabe onde estava no 11 de setembro, mesmo que tenha recebido as informações somente a posteriori.

    Também assisti pela TV – entre perplexo e incrédulo – ao 2º avião voando para dentro da Torre Norte, impactando e explodindo, e o que parecia ser o resto de uma de suas turbinas saindo pelo outro lado dos andares já comprometidos pelas chamas.

    E embora as terríveis imagens estejam indeléveis na mente, o que me deixou mais perplexo ainda foi a fala (nunca mais divulgada, mas que está tão indelével quanto em minha mente) de George W. Bush no dia seguinte, quando declarou:
    - “It was an attack against Liberty itself!”.

    _ E compreendi que a Liberdade seria suprimida lenta, mas inexoravelmente, do Planeta Terra.

  30. Beto Lyra on setembro 12th, 2011 21:05

    Geraldo,
    Nem havia reparado na turbina que vc chamou a atenção.

    Todo o mundo sabe, mas vc não disse aonde estava. Vamos lá…

  31. Geraldo Facó Vidigal on setembro 12th, 2011 21:11

    Olha só… ERREI feio!
    Ato falho!!!

    Eu com a imagem da estátua da Liberdade enjaulada em mente…

    A frase de G. W. Bush – realmente – foi:

    “It was an attack against Freedom itself”

    E Lourdes:

    1. Robert MacNamara concorda com você: vi e ouvi uma entrevista dele em que diz exatamente que – se os EUA não tivessem ganho a Guerra, quem responderia por crimes de Guerra seriam os EUA.

    2. Sim. O Japão anualmente faz uma cerimônia que envolve toda a Nação em memória dos mortos de Hiroshima e Nagazaki.

    2.1. Mas a midia dá a isso tanto espaço quanto dá a um furacão enquanto destroça os Países do Caribe.
    - Só quando o furacão já está amainando – mas chegando às costas dos EUA – é que o Mundo todo entra em sinistrose coletiva e alerta Geral.

    3. Beto, eu estava no escritório quando meu filho Geraldo me telefonou avisando. Desci, atravessei a rua, subi para casa e liguei a TV.

  32. Dick on setembro 14th, 2011 12:36

    Beto, eu estava no escritório quando meu celular tocou. Era minha mãe apavorada com o que estava acontecendo. Fui pra sala de reunião e liguei a TV e aos poucos a sala ficou lotada; ninguém acreditava no que via…

  33. Jean Ross on setembro 15th, 2011 13:16

    Very useful post.

  34. Beto Lyra on setembro 15th, 2011 21:08

    Jean,
    So, enjoy it.

  35. Beto Lyra on setembro 15th, 2011 20:48

    Geraldo,

    MacNamara eu não sei, mas no julgamento em Nuremberg, Göering ao ser perguntado se sabia por que (qual motivo) estava sendo julgado respondeu com a empáfia costumeira: “sei sim, estou sendo julgado porque o Reich perdeu a guerra, pois se tivesse ganho os americanos é que seriam julgados.

    Grande abraço.

  36. Beto Lyra on setembro 15th, 2011 20:50

    Dick, é isso mesmo, ninguém acreditava no que via. Demorou para cair a ficha de todos.

  37. Rezende on setembro 16th, 2011 11:36

    A long, long time ago…
    I can still remember
    How that music used to make me smile…

    Particularmente essa música traz recordações fantásticas de minha adolescência (ganhei o “compacto simples”).

    Lembro do dia 11 sim. A diagramadora “transparência” que vc conhece veio a minha sala atônita para contar e passamos a ligar para saber quem tinha mais informações. À noite, diante da TV, chorei muito e me lembro do sentimento de tristeza, impotência e incredulidade.

    Parabéns, foi seu post que mais me tocou.

  38. Beto Lyra on setembro 17th, 2011 19:14

    Rezende, está ficando com o coração mole? Ou eu melhorei mesmo?

    Gostei que escreveu.

    Abraço.

  39. Marcia Crepaldi on setembro 25th, 2011 21:18

    Ola Beto,
    No 11 de setembro, estava no trabalho e vimos tudo pela TV. Obviamente, ficamos o dia todo com a cara na TV, nem saimos pra almoçar.
    A noite, fui ao aniversario de minha sobrinha e, obviamente, o aniversario transcorreu com todos com a cara na TV, com uma breve pausa para os parabens rsrsrsrs.
    Menos de um ano antes, estive em NY, e tive que escolher entre ir ao Empire State ou as Torres Gemeas… Escolhi o Empire State, e deixei as Torres para uma proxima viagem hahaha… Dancei, claro. Sera que perdi muito (interrogaçao)
    Abraços

  40. Beto Lyra on setembro 30th, 2011 19:08

    Marcia,
    Perdeu ou não perdeu?
    E se vc tivesse voltado lá naquela 3ª feira? Ninguém falou, talvez porque ninguém soubesse, mas quantos visitantes haviam no observatório do último andar?
    Interrogação!!!!!
    Beijo.

Leave a Reply