O 1º Ouro brasileiro em Jogos Olímpicos

julho 28, 2012 · Posted in Esporte · 2 Comments 

por Beto Lyra

Corria o ano de 1920. Vinte e nove países estavam participando dos VII Jogos Olímpicos da Era Moderna, iniciados em 1896, na Grécia. Cerca de dois anos após o fim da desgastante 1ª Grande Guerra, a competição retornava, dessa vez, em Antuérpia, na Bélgica. Era lançada, então, a bandeira olímpica, com seus 5 aros entrelaçados e coloridos, criada pelo Barão de Coubertin.

Na euforia da época, a musiquinha anunciava “30 milhões em ação, pra frente Brasil, do meu coração … “, destes trinta, dois milhões eram estrangeiros.

Bem, a história interessante aqui é como foi ganha a 1ª medalha de ouro brasileira em Jogos Olímpicos. Tudo começou com a desorganização da viagem da delegação brasileira para a Europa: apenas 10 dias para definir a equipe, comprar as passagens e embarcar os 29 valentes atletas, que foram jogados na 3ª classe do navio Curvello rumo a Lisboa e daí, de trem, em um vagão de carga descoberto, para Bruxelas. Acha pouco sofrimento e desorganização? Então, continue lendo.

De Lisboa a Bruxelas, tomou chuva direto, a bagagem da delegação molhou e estragou parte do material levado, infelizmente as armas da equipe de tiroe, mais tarde, enquanto aguardava a ida para Antuérpia, nossos atletas do tiro foram roubados, ficando sem os alvos e a munição. Bem, mas muito antes do ex-presidente Lula afirmar que o brasileiro não desiste nunca, um dos atiradores foi até a delegação norte-americana e conseguiu emprestadas armas, munição e alvos. Armas de treino, claro, porque as de competição seriam usadas pelos próprios donos.

de ouro olímpica para o Brasil competindo contra vários atiradores, entre eles quem lhe emprestara a arma. Em seguida, novas medalhas, uma de prata ganha por Afrânio Costa, outro atirador com arma emprestada e outra de bronze, com toda a equipe. Enfim, aquele acontecimento inimaginável, que ocorre muito raramente, e só quando os deuses do esporte estão de sacanagem com os competidores favoritos.

Encerrada a disputa de tiro, os brasileiros foram devolver as armas aos seus verdadeiros donos. Guilherme entregou a sua ao americano, que não a aceitou dizendo que ela tinha escolhido outro dono e agora pertencia a ele, Paraense.

Oitenta e quatro anos depois, eu era diretor de um monte de áreas na BM&F e acabei montando o Espaço Cultural, que hoje é famoso e disputado por vários artistas e galerias que ali querem expor suas  obras. Realizei exposições artísticas que iam desde a maravilhosa coleção de quadros da própria bolsa, com Portinaris, Guignards, Anitas Malfattis e tantos outros excelentes artistas, até a montagem de uma sala especial que fazia parte da Bienal de Arte de São Paulo, em 2004. Mas, eu gostava também de realizar exposições populares, como a de Alberto Santos Dumont, para comemorar o centenário de seu voo com o 14 Bis. E foi assim que, em 2004, fiz com o apoio do COB a exposição “Jogos Olímpicos: Arte, História e Design”, que expôs pela primeira vez ao público a arma com que Guilherme Paraense ganhou a 1ª medalha de ouro brasileira em Jogos Olímpicos.

Em Tempo: Hoje vi na TV uma entrevista com o presidente do COB, Artur Nuzman, que disse que os atletas  de Jogos Olímpicos mais profissionais (sic) que ele conheceu são Roberto Scheidt e Roger Federer. O espírito olímpico não deveria ser amador?

A dança dos técnicos

outubro 8, 2010 · Posted in Esporte · 8 Comments 

por Thais Marques



Olá meu queridos! Faz tempo que eu não apareço por aqui não é? Já estava com saudades!!!
Vamos falar do que interessa!! Futebol!

Estou impressionada com a quantidade de técnicos que estão sendo demitidos e indo para outros times! Acreditava que isso acontecia mais com os times pequenos, mas agora estamos falando de times grandes, São Paulo, Palmeiras, Cruzeiro, Inter, Grêmio, Atlético Mineiro, Santos, Fluminense, Corinthians (por causa Justa! hehe) e sem contar o Flamengo, que só este ano trocou três vezes de técnico, e nem estou contando com o interino… ufa… Esta foi a dança das cadeiras dos técnicos, e olha que o campeonato nem acabou ainda!

Falando em técnico, tenho de deixar registrado que gostei muito do Mano Menezes ter ido para seleção brasileira. Acho que agora nós temos chance de ganhar uma copa do mundo! Sou fã dele! Ele sabe fazer um time se tornar unido, sabe trabalhar com estrelas e com revelações — só ele poderá salvar o Neymar, antes que alguém quebre a perna dele. Estes dias eu recebi um e-mail com piadinhas sobre o Neymar do tipo:

  • “O Dia Mundial Sem Carro foi adiado porque o Neymar comprou um Porsche e queria dar uma voltinha hoje”
  • “Se o Neymar participar do Big Brother e for eliminado, quem sai é o Pedro Bial”
  • “Segundo Neymar, Mano Menezes não estará na lista de convocados para o próximo jogo da seleção”
  • “Neymar entrou no Burger King e pediu um Big Mac. E foi atendido”
  • “Hoje Neymar não treina! Vai dar uma palestra sobre poder de liderança para Barack Obama, Roberto Justus  e Eike Batista”

Ri muito, mas, pensando bem, é triste que isso aconteça com um jogador. Pelo menos ele ainda não saiu do país, e poderá amadurecer mais antes de se mostrar efetivamente para o mundo. E eu aposto no Mano Menezes para passar um pouco de responsabilidade para este menino!

Ah, e só mais um comentário. No jogo do Palmeiras e Avaí, vi o que nunca havia visto antes: o goleiro do Avaí fez um pênalti no Kleber, levou um cartão amarelo, pegou o pênalti e foi tirar sarro do jogador, ficou passando a bola no nariz do Kleber, foi expulso e o Palmeiras bateu outro pênalti e ai sim fez o gol… eu realmente nunca vi isto!

Bom é isso ai, até a próxima!

Holanda ou Espanha?

julho 9, 2010 · Posted in Esporte · Comment 

Da Redação

Vamos lá amigos. Agora é muito simples. Quem vai ganhar a Copa? Respondam à pergunta com uma simples resposta: Holanda ou Espanha? Não precisa acertar o placar. Quem acertar vai concorrer a uma camiseta linda do Fio Do Bigode, objeto de colecionador.

Claro que só vale um palpite por participante.

Vamos lá, participem!

O mundo nas mãos

julho 6, 2010 · Posted in Esporte, Humor · Comment 

por Pedro Sampaio

Copa do Mundo acontece de tudo. Não adianta fazer ar indiferente. É um momento único em que muita coisa estranha faz a gente torcer, delirar, depois raciocinar. Nessa Copa, houve de tudo.  Mas na minha opinião, nenhuma das coisas que aconteceu é tão emblemática do que a mão do Suárez, do Uruguai, evitando o gol de Gana, no último segundo da prorrogação. Infração escandalosa, na frente de milhões de pessoas, punida com expulsão. No entanto, salvou o Uruguai, que depois ganhou nos pênaltis. A infração à lei ganhou. Mas a pergunta fica, quem naquela hora não colocaria a mão?

Não sei não, mas acho que todo o mundo colocaria a mão. O Dunga com certeza. No nosso time, o Lúcio, atleta de Cristo, numa emergência dessa ordem, colocaria a mão. O Juan, nosso melhor jogador, verdadeiro cavalheiro, não teria dúvida, pois já estendeu sua mão na hora do fogo. O Felipe Melo, bem, nem pensar, colocaria os travos da chuteira. Mas não dando, daria um soco na bola.

Jogadores de qualquer outro time não teriam dúvidas. Colocariam a mão na bola em cima da linha para salvar o time. Os beques da Holanda iriam direto com a mão. Os da Argentina, sem nenhuma hesitação, pois já têm tradição nesse costume. Os da Inglaterra, ao invés do retorno inglório, tacariam a mão. Os da França, já puseram a mão por muito menos. Os australianos, acostumados com o Rugby, não teriam dificuldade em agarrar com a mão. Os japoneses, bons no Karatê, dariam um golpe com a mão. Também os jogadores de Camarões. Os dos EUA, não pestanejariam. Poriam a mão. Pensando bem, até os jogadores de Gana colocariam a mão para salvar o time no último segundo da prorrogação.

Todos colocariam a mão. O Lula, nosso presidente, não teria nada a perder. Poria a mão. Sua candidata, a Dilma, sempre querendo copiar o Lula, tacaria a mão. O seu opositor, Serra, tentaria ser engraçado, mas não iria titubear. Desengonçadamente estenderia a mão. A Marina da Silva, falaria na necessidade de defender os gramados nos campos de futebol judiados, mas rezando um terço, colocaria a mão.

O Galvão Bueno poria a mão. O Casagrande, nosso melhor comentarista, sóbrio ou não, colocaria a mão. O Milton Leite, melhor narrador da Copa, logo esticaria a mão para depois soltar um “Que Beleza”.  O Trajano, na ESPN, com seu mau humor, não teria porque pensar. Mão. O Xico Sá, o melhor cronista de futebol nos jornais, tiraria um sarro, falaria das mulheres, mas na hora H poria a mão. Mesmo o Tostão, o maior de todos, dissertaria sobre a alma humana, mas discretamente estenderia a mão.

Todos o fariam naquela hora. Nelson Mandela, o grande líder da África do Sul, sem nenhum pudor, salvaria com a mão em cima da linha. Obama, se pudesse resolver os conflitos mundiais com um truque de mão, não iria vacilar. Mão. Ghandi, o grande líder da não violência, que começou como advogado na África do Sul, não pensaria duas vezes. No último segundo da prorrogação, pacificamente salvaria com a mão.

Mas não apenas líderes mundiais impediriam o gol com a mão. Grandes filósofos agiriam da mesma forma. Aristóteles consideraria de grande equidade estender a mão naquele momento para impedir uma enorme injustiça. Descartes concluiria ser de lógica cartesiana evitar a derrota com a mão. Karl Marx observaria estar ali, naquela mão, a possibilidade de emancipação da classe operária. Freud veria na mão, no último minuto, a libertação da sexualidade reprimida.

Maomé encontraria no Alcorão passagens recomendando a mão para impedir que a bola ultrapassasse a linha fatal. Buda, se não conseguisse parar a bola com meditação, logo estenderia a mão. Jesus Cristo tentaria um milagre, mas se falhasse, trataria de objetivamente colocar a mão.

O Antonio, o José, a Maria, o Flávio, o Pedro, o Roberto, a Cristina, a Marta, todos nós faríamos a mesma defesa com a mão que o Suárez fez, salvando o gol no último segundo. Na hora que a casa está prestes a desmoronar, que tudo está a perder, não teríamos dúvida em cometer uma infração, uma violação à lei, escancaradamente, na frente de todos. E se desse certo, como deu com Suárez, iríamos vibrar como loucos, orgulhosos de nossa infração, que transformou uma derrota certa numa vitória épica.

É mesmo muito esquisito o ser humano.

Apátridas de chuteiras

junho 27, 2010 · Posted in Esporte · Comment 

por Beto Lyra

Não sei se ocorre o mesmo com vocês, mas se há algo que me deixa “p…… da vida” é assistir a demonstrações de fanatismo. Mesmo que sejam referentes a futebol, esporte que permite todas as paixões, irracionalidades, idiossincrasias e outras tontices possíveis. Todas nobres no caso do futebol.

O fato é que, quando começam a circular carros com bandeirolas do Brasil e faixas ou bandeiras são colocadas nas casas e empresas por todas as cidades do país, fico imaginando o que realmente passa pela cabeça das pessoas que fazem isso.

Às vezes, acho que não passa nada, pois só isso explicaria de uma hora para outra alguém demonstrar tanto apego às cores de sua bandeira sem que para isso haja alguma razão conhecida e plausível. Outras, acho que passa algo pela cabeça, mas não consigo identificar o cheiro do que seja.

Alguns dirão que é impossível  não perceber que tudo isso acontece por causa da Copa do Mundo de futebol. Claro que consigo perceber isso, mas continuo não entendendo o porquê.

Nelson Rodrigues cunhou a pérola “A pátria em chuteiras”, para designar o estado de espírito que toma conta dos brasileiros na época das Copas do Mundo de futebol. Segundo o rei da irracionalidade e da paixão, o brasileiro não pega em armas para defender suas fronteiras ou interesses, mas se arma de chuteiras para torcer pela seleção e, em tese, se vingar ao menos uma vez das várias humilhações porque passa em casa, no trabalho e no cenário internacional. Há aquele sentimento de solidariedade, mal direcionado neste caso, tão necessário ao ser humano. Olhar para o lado e identificar-se com o vizinho ou com o outro carro preso no trânsito é prazer para esses pobres de espírito. E, mais, o trânsito já caótico em São Paulo fica ainda pior, pois esses patriotas de ocasião diminuem a marcha só para serem observados pelos demais.

Ainda que fosse anos atrás, quando qualquer brasileiro sabia de cor a escalação de seus times e da seleção nacional, vá lá. Mas hoje nem isso acontece. Atualmente os jogadores das principais seleções do mundo não moram, e portanto não jogam (ou mesmo nunca jogaram) em times de seus respectivos países. Não têm mais vínculos com a terra e a gente de seus países. Muita gente viu o jogo do Brasil contra a Coréia do Norte se perguntando “quem é esse na lateral esquerda, nunca ouvi falar…”

Esse “apego” se estende aos próprios jogadores das seleções da Copa. Todos abraçam e beijam seus adversários, pela simples razão de que têm mais convivência e intimidade com eles do que com os próprios companheiros de time. Não sabem cantar os hinos de seus países. Muitos sequer falam direito seus idiomas nativos. Que entusiasmo patriótico é esse então?

Só os bobocas se comovem com os gestos pueris dos jogadores ao beijar a bandeira e camiseta de suas equipes. Só inocentes podem se emocionar com a Copa e desfilar seus patriotismos impensados.

Os jogadores não têm responsabilidade sobre isso. Agem como profissionais. Levam excelente vida no exterior, com possibilidades de crescimento pessoal, profissional e cultural e comovem, de tempos em tempos, o público com beijinhos na bandeira. Isso não os satisfaz, creio eu. Fica o vazio, pois esse teatro todo não encanta a eles nem ao mestre Nelson Rodrigues. Esses “heróis” de hoje são, na verdade, apátridas de chuteiras.

Final da fase de classificação

junho 23, 2010 · Posted in Esporte · Comment 

por Thais Marques

Realmente a copa do mundo está bem diferente de tudo que já vimos! Além de ser a 1ª vez na África, a “zebra” está correndo solta e os sul-americanos estão mandando na Copa.

Na chave A, o México ganhou da França de 2×0 e infelizmente a África do Sul não passou de fase, mas mandou a França para casa e pelo que pude acompanhar os torcedores não se abateram não, estavam bem felizes e fazendo muito barulho!! Afinal de contas não é sempre que uma seleção africana ganha da França.

Na chave B, a Nigéria também não conseguiu avançar, perdeu da Grécia, que está fazendo uma campanha inédita, e depois empatou com a Coréia do Sul, a Argentina com uma ótima campanha ganhou os 3 jogos, e por terminar em 1ª do grupo foi para a outra ponta da tabela. Temos que torcer para o Brasil ficar em 1º do seu grupo para se encontrar com a Argentina apenas na final.

No grupo C, as “grandes” seleções estão ameaçadas, a Inglaterra pode ficar de fora e se classificar a Eslovênia! Quem diria, neste grupo até a última colocada que é a Argélia, tem chances de se classificar!

A Alemanha, na chave D, começou a copa abafando, ganhou de 4×0, mas depois… perdeu de um da Sérvia — o Pet, do Flamengo, deve estar radiante. Este é o único grupo em que podemos ter uma seleção africana, afinal Gana pode se classificar e continuar na Copa.

A Holanda já está classificada no grupo E. Podemos ter Japão ou Dinamarca com a outra vaga, e mais uma seleção africana a se despedir, a não ser que Camarões dê uma goleada na Holanda, o que acho muito difícil, mas como esta Copa está estranha… vai saber!

No grupo F, a Itália está correndo riscos de não passar de fase e a Eslováquia, que é a ultima desse grupo, tem chances de passar, pois é confronto direto com a Itália; se ganhar, se classifica e manda os Italianos pra casa.

A “zebra” passou longe do grupo G, do Brasil. Este grupo está como a tradição manda: Brasil e Portugal classificados, com uma bela goleada de Portugal, que é o melhor europeu depois da Holanda. Só resta saber quem fica em 1º e quem fica em 2º e, como disse acima, quem ficar em 2º pode pegar a Argentina, e acho que não é um bom negócio. Vamos torcer sexta!

E, finalmente, no grupo H, a Espanha “periga” não se classificar, pois tem confronto direto com o Chile, que é o melhor da chave. Dependendo dos resultados, pode ir Chile e Suíça, feito inédito para a  Suíça também.

Bom, é isso que está acontecendo nesta maluca Copa do Mundo.

Meu palpite para sexta é: Brasil 3 x Portugal 2. E o de vocês?

Final da 1ª rodada

junho 18, 2010 · Posted in Esporte · Comment 

por Thais Marques

Teve de tudo nesta 1ª rodada: frango, goleada e zebra!

Pra mim, a equipe que jogou melhor foi a Alemanha, forte candidata! A Espanha realmente me decepcionou, estava esperando a fúria, mas no final eles ficaram furiosos.

A Argentina jogou como a boa e velha Argentina. Este ano estão mais guerreiros, podem dar trabalho também.

O pior gol, incontestavelmente, foi o “frango” da Inglaterra. O nome do goleiro define a forma que ele ficou após o gol — Green –, e o gol mais bonito … bom, esse eu ainda não vi, mas teve vários gols espíritas, um deles do próprio Brasil. Com esta bola (jabulani) tem que chutar, pois uma hora entra, mas acho que eles só perceberam isso no 2º tempo.

Falando no Brasil, o times jogou da forma Dunga de ser. No começo não arriscou e 2×0 estava de bom tamanho, mas não esperava tomar um gol quase no fim do jogo. O importante é que fizeram uma “boa” estréia, pelo menos ganharam e estão em 1º do grupo (bem discurso de Dunga). Vamos esperar que o 2º jogo seja melhor, que tenham mais desenvoltura e que o Luis Fabiano entre em campo, pelo menos para não atrapalhar, pois ele não conseguiu acertar nenhum passe, que dirá fazer um gol! Mas é isso ai, é o que temos para hoje!

E o Maradona, o que falar dele? Pelo que estou vendo ele será um personagem nesta copa. Antes do 2º jogo, já falou de meio mundo, e claro que não foi bem de ninguém e lógico que o Brasil não passaria em branco. Ele nunca vai esquecer do Pelé e toda oportunidade que tem dá uma alfinetada.

Bom, é isso ai. Não tivemos grandes surpresas nesta rodada, apenas a Espanha que perdeu para a Suíça, que também não refresca em nada a vida do Brasil!

Meu palpite para o próximo jogo é Brasil 3 x Costa do Marfim 1. E o de vocês?

Um Grande Beijo.

A Copa do Mundo das Vuvuzelas

junho 13, 2010 · Posted in Esporte · Comment 

por Thais Marques

A Copa do Mundo começou, depois de 4 anos de preparação. Chegou a hora de mostrar para quê viemos. Mas infelizmente este pensamento está na cabeça de todas as seleções, até das que historicamente não têm chances de ganhar. Mesmo estas querem ser a “Zebra” da copa da África!

O Brasil está escalado. Os brasileiros, gostando ou não do time, ele está pronto! Não tivemos nenhum corte, os sete reservas continuaram na reserva e, para os fãs de jogadas bonitas, o Ganso não vem mesmo. Em contra partida, seleções importantes perderam suas estrelas por causa de contusão: Inglaterra perdeu 2, costa do Marfim 1, Portugal 1, entre outras. Os intactos grandes são Brasil e Espanha.

Teremos bons jogos e ótimos adversários. Já fiz todas as possibilidades de jogos do Brasil nas Oitavas, Quartas, Semi-Finais e Final… nenhuma é animadora… só teremos pedreira… enfim, “bola pro mato, que o jogo é de campeonato!” Bem-vindos à Copa do Mundo de 2010 na África do Sul. Agora as televisões vão parar de mostrar os animais da África, o campo de golfe que fica ao lado do Hotel da seleção, e sim os jogos dos melhores países do mundo!!! Se bem que confesso que gostei da história dos jogadores mostrada pelo Jornal Nacional e da atuação do Felipe Andreoli do CQC nas vésperas da copa, que propôs um bate-Jabulani, na segunda-feira, entre o repórter da Globo e da Band e também as entrevistas com os jornalistas de outros países.

Vamos torcer para que aconteça como em 2002. Um time desacreditado, sem suas estrelas, surpreendeu e ganhou o mundial.

Falando nisso, nos bastidores do futebol brasileiro, todos estão esperando para saber onde o Felipão irá se recolocar, se no Inter, no Palmeiras… Eu acredito que ele irá diretamente para a Seleção Brasileira após a copa; como não estamos falando da política e sim de futebol, o técnico não pode se reeleger, então poderemos ter o Felipão para a Copa de 2014 no Brasil, eu particularmente vou adorar!!!

Qual o palpite de vocês para esta Copa do Mundo?

Vamos começar pelo placar do jogo Brasil X Coréia do Norte. Eu acho que será 2×0 para o Brasil

Só nos resta torcer e é o que faremos!

Um Grande Beijo à todos!

Meninos da vila ou meninos canarinho?

maio 10, 2010 · Posted in Esporte · Comment 

por Thais Marques

Thais é publicitária e amante de futebol, esporte que aprendeu a gostar logo cedo com seu avô. Pode-se questionar seu gosto clubístico ou mesmo suas opiniões apaixonadas, mas fica difícil segurar uma discussão com alguém que entende e gosta tanto de futebol.

A partir de agora, Thais vai escrever no Fio Do Bigode, sobre o esporte que nós brasileiros respiramos o tempo inteiro, com a personalidade e o conhecimento que muito marmanjo gostaria de ter.

Como é ano de Copa do Mundo, começa pela convocação da seleção brasileira prevista para esta semana.

O Mestre João Saldanha diria que a menina é “fera”! Eu digo: aproveitem a oportunidade!

Beto Lyra


Os Meninos da Vila querem se tornar os Meninos Canarinho, será que é isso possível?

Todos ficam se perguntando se o Dunga vai convocar alguém. Como todo brasileiro é meio médico e meio técnico, o Neymar já está na seleção. Até outdoor já colocaram para o Dunga enxergar os meninos.

Estamos passando mais uma vez pelo “leva o Romário”, substituído agora por “leva o Neymar”. Será que tem comparação?

É preciso lembrar que não dá para construir um time da noite para o dia. Ainda mais em se tratando de um técnico da escola gaúcha, onde o que importa é o resultado, mesmo que seja de 1×0. Afinal, são 3 pontos e o que ganha jogo e campeonato é a diferença de 1 gol e não o drible.

Numa copa do mundo, onde depois da 1ª fase é mata-mata, será mesmo que o Neymar comeu arroz-feijão suficiente para sentir o peso da Canarinho?

Ok, ok, aí vem alguém e diz que o Ronaldinho Fenômeno foi novo para a seleção e eu volto a perguntar: dá pra comparar? E eu não estou dizendo só de jogar bola não, estou falando de temperamento em campo. Se o Neimar fizer dancinhas e firulas num jogo contra os argentinos, será que ele sai vivo? Acho que não…

Vamos pensar no Dunga. Preparou por quatro anos uma seleção e conseguiu os resultados. Independentemente de gostarmos ou não dos jogos, o fato é que ele conseguiu. A escola dele é boa. Mas, da mesma forma que o Felipão não acatou 190 milhões de pessoas pedindo o Romário, que o Mano Menezes não acata o clamor da torcida pela escalação do Ronaldo, Dunga também não dá muita bola para a torcida. Coisa de sulista. Até o Muricy aprendeu essa forma de comandar quando era técnico no sul.  A frase dos quatro é mais ou menos a mesma: “não precisa jogar bonito, o importante é ganhar, nem que seja de meio a zero”.

Então eu volto a perguntar: será que o Neymar será convocado? Acho que não, ele ainda tem que amadurecer bastante para chegar numa seleção e fazer bonito.

Não, não sou gaúcha, sou uma paulistana, amante do futebol.

Viúvas de Pelé ou feijão maravilha!

abril 25, 2010 · Posted in Esporte · Comment 

por Beto Lyra

Escrevo sobre as viúvas de Pelé, por anos tristes e humildes santistas, que agora voltam a ficar alegrinhos, como eram quarenta anos atrás. Via de regra, santista não pode ficar alegrinho, pois aí fica metido.

Lembro claramente de uma manhã em que, ao chegar no escritório, após o São Paulo ganhar sua primeira Copa Libertadores, encontrei meu sócio santista, que antes mesmo de eu dizer algo disparou: “quando vocês forem bicampeões do mundo aí sim pode falar de futebol.” Quis o destino, e o mestre Telê Santana, que esse bicampeonato viesse rapidinho e meu (já então) ex-sócio enfiou a viola no saco.

Agora uma nova geração de torcedores santistas fica alegrinha com seu time de inúmeros talentos, jovens rápidos e habilidosos, que vai ganhar o torneio paulista no próximo domingo. Essa molecada já é endeusada pela torcida e pela imprensa, mas estão distantes anos-luz do Panteão dos grandes craques.

Mal acostumados, nem bem começaram a carreira e já exibem aquela criatividade moicana. Pedaladas, comemorações i-no-va-do-ras e, é claro, uma leve arrogância de alguns deles.

Isso sem falar no veterano Robinho, também conhecido por Bobinho pela gesticulação boboca em suas comemorações de gol. Ele, que foi pra Europa e voltou sem conseguir jogar bola, gosta de pedalar, fazer bonito para a arquibancada. Quando faz gol beija o anel, chupa o dedão e outras firulas en-gra-ça-das. Em seus últimos jogos, parece não estar em campo. Hoje, contra o Santo André, seu time começou perdendo por 1×0. No segundo tempo, o Santo André cansou (ou o Santos tem um fôlego do outro mundo?) e os moicanos decidiram o jogo fazendo três bonitos gols, enquanto ele permanecia apagado. Aí, com o jogo mais fácil, afinal o adversário estava com 10 em campo, Bobinho consegue dar um chapéu no marcador, só para se mostrar à torcida. Nenhuma objetividade, pois o lance deu em nada. Ah, deu sim: o Santo André fez seu segundo gol logo depois.

Muito bem, o Santos deve ganhar também o segundo jogo da final e, depois de campeão,  a imprensa unanimemente exigirá Neymar, um dos moicanos, e talvez mais um ou outro moleque na seleção. Comparações com o antigo Santos surgirão a rodo. As viúvas de Pelé voltarão a sorrir, mas convenhamos, essa molecada tem que comer muito feijão antes de chegar a algum lugar mais alto.

Próxima Página »